Dados seguros,
clientes satisfeitos
.

Se você perdeu a transmissão ao vivo no nosso canal, veja essa importante Live na íntegra aqui:

O que é a LGPD?

A Lei Geral de Proteção de Dados, 13.709/2018, foi sancionada em agosto de 2018, no Brasil.
A LGPD nasceu como uma maneira de limitar possíveis abusos e penalizar de forma objetiva o uso indevido de dados por parte das empresas.

COMO FUNCIONA?

A Lei Geral de Proteção de Dados, em resumo, coloca nas mãos do titular das informações o controle sobre elas, ou seja, todo usuário deve permitir, de forma explícita, consciente e espontânea, que empresas utilizem os seus dados pessoais para fins específicos e explícitos. Dessa forma, cada parte deixa claro a sua responsabilidade e compromisso, estabelecendo uma relação de transparência e segurança. A LGPD determina, em resumo, que o usuário deve ter sempre o controle de seus próprios dados.

O QUE SÃO DADOS
PESSOAIS?

Os dados pessoais permitem, sozinho ou em conjunto com outros, a identificação de seu titular. Por meio deles, é possível descobrir nome, endereço de residência, e-mail, entre outros.

O QUE SÃO DADOS PESSOAIS SENSÍVEIS?

A LGPD visa também a proteção dos dados sensíveis, que revelam características ainda mais profundas sobre uma pessoa. Alguns exemplos de dados sensíveis são: religião, etnia, sexo, biometria, histórico de saúde, filiação a entidades, entre outros.

TRATAMENTOS
DE DADOS?

O tratamento é toda operação realizada com dados pessoais, como: coleta, produção, recepção, classificação, utilização, acesso, reprodução, transmissão, distribuição, processamento, arquivamento, armazenamento, eliminação, avaliação ou controle da informação, modificação, comunicação, transferência, difusão ou extração.

PENALIDADES

Qualquer empresa que tenha contato ou relação com titulares de dados brasileiros devem se adequar à LGPD. Em caso de descumprimento, as penalidades possíveis vão desde indenização ao titular dos dados e multa – que pode chegar a R$ 50 milhões dependendo da infração, até suspensão parcial ou total das atividades de tratamento de dados pela empresa.

Cartilha

Para se aprofundar na maneira correta de lidar com os dados do seu cliente e não cometer infrações, leia nossa cartilha completa de LGPD. Nela você vai entender porque seu cliente vai preferir corretores que agem em conformidade com a LGPD.

Jogo

Corretor, agora que você já sabe o que é a LGPD e os cuidados que você deve ter com os dados do seu cliente, que tal testar os seus conhecimentos no nosso Jogo de Mitos & Verdades?

1

Posso vender minha carteira de clientes para outro colega sem que o cliente saiba para onde estão indo seus dados.

2

Posso requisitar uma carta de permanência para Administradora de Benefícios em nome do meu cliente com autorização prévia do mesmo

3

Posso coletar mais informações do que o necessário do meu cliente sem informar o porquê estou fazendo isso.

4

Posso utilizar os dados de um cliente que acabei de vender um plano, para oferecer outros produtos e serviços.

5

Sou obrigado a detalhar para o meu cliente a razão específica, antes da coleta dos seus dados.

6

Meu cliente pode pedir que eu comprove o uso de medidas de proteção dos dados dele.

7

Não preciso de um termo de consentimento do meu cliente para coletar seus dados sensíveis.

8

Estar adequado à LGPD é um diferencial competitivo importante porque clientes mais seguros ficam mais satisfeitos.

Aceite o termo LGPD

Estar de acordo com a LGPD é um diferencial competitivo, pois mostra ao seu cliente que os dados dele estão seguros com você.

Faça login no site tamojuntocorretor.com.br para preencher o termo de conformidade do corretor Quali com a LGPD.

Perguntas frequentes

Se o cliente conceder autorização para ele ser meu cliente, posso usar estes dados?

Sim, os dados do cliente podem ser utilizados somente quando ele autoriza o seu uso ou assina um termo de consentimento para o uso dos seus dados. Porém, a finalidade do uso desses dados precisa ser sempre especificada para o cliente e seus dados poderão ser usados somente para aquela finalidade.

Posso solicitar uma declaração de tempo de permanência na central com os dados do cliente?

Sim, mas somente se você tiver a autorização do seu cliente e puder comprovar o consentimento dele para representa-lo para essa finalidade.

Posso solicitar na central para o cliente: uma inclusão de dependente, uma alteração de plano ou uma segunda via de boleto da mensalidade dele?

Somente se você tiver como comprovar o consentimento do seu cliente para a utilização dos dados dele para fazer cada uma dessas solicitações específicas.

De acordo com a LGPD, eu posso verificar se o cliente pagou a primeira mensalidade com os dados dele, sem o seu consentimento?

Não. Você precisa da autorização do seu cliente para usar os seus dados em qualquer tipo de consulta em seu nome.

Se o cliente fizer autorização para ele ser meu cliente posso usar estes dados?

Sim. O cliente pode autorizar o uso dos seus dados para finalidades específicas e, caso você possa comprovar essa autorização do cliente, você pode utilizar os dados dele. Ter autorização genérica não significa que poderá fazer uso dos dados pessoais para qualquer atividade.

Corretor, se você ainda ficou com alguma dúvida, você pode entrar em contato com o seu coordenador de vendas ou com a nossa equipe, no e-mail: